Categoria - Notícias

Tele-educação sobre “Manejo do coronavírus na Atenção Hospitalar e Urgências” obteve participação de mais de mil pontos de acesso

06 de abril de 2020

Milhares de profissionais de saúde em mais de mil pontos de acesso localizados em 70 municípios de 13 estados brasileiros participaram, nesta sexta-feira, 3, da webpalestra “Manejo do coronavírus na Atenção Hospitalar e Urgências”, ação de Tele-educação promovida pela Fundação Estadual de Saúde (Funesa), através do Núcleo Telessaúde Sergipe, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Diante da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) no Brasil, além de casos e óbitos confirmados em Sergipe, a Saúde Estadual também atua nesse enfrentamento ao coronavírus por meio de capacitações, com o objetivo de instruir e orientar profissionais da rede de saúde.

Apesar de ser voltada, principalmente, aos profissionais da Rede de Atenção Hospitalar e Rede de Atenção às Urgências, a capacitação também foi aberta a estudantes e demais interessados. Na oportunidade, os participantes tiveram um momento para esclarecer dúvidas sobre a situação, incluindo o atendimento adequado à população. Ministrada pelo médico clínico, emergencista hospitalar e diretor técnico do Hospital Regional de Estância, Léo Faro de Barros, e pelo médico infectologista da SES, professor e supervisor do Programa Mais Médicos, Marco Aurélio Góes, a webaula apresentou panorama de procedimentos, além de conceitos sobre o Covid-19.

Na oportunidade, os médicos discorreram sobre sinais e sintomas de gravidade do caso; estratificação da gravidade de casos – casos leves e casos graves; pacientes com comorbidades; fluxo de pacientes com sintomas de Síndrome Gripal; e manejo clínico. Também foram reforçadas e atualizadas as temáticas já abordadas nas webpalestras anteriores, como conceitos do novo coronavírus (Covid-19); período de incubação; estatísticas de casos confirmados por região, letalidade, óbitos, casos por dia e casos por semana epidemiológica; como retardar o pico da epidemia; conceitos de transmissão; e medidas para evitar contágio por vírus causadores da Síndrome Gripal nas unidades de saúde.

De acordo com o diretor técnico do Hospital Regional de Estância, Léo Faro de Barros, a patologia é nova e informações de como proceder sofrem transformações diariamente. “Há protocolos de outros hospitais e de outras unidades que não se enquadram em nossa realidade, que é mais difícil de se adaptar. Por isso, uniformizamos a conduta e prática clínica de toda a rede estadual pra seguirmos a mesma linha de raciocínio, proporcionamos melhor atendimento ao paciente e otimizarmos nossa atuação. Também estamos nos organizando e ouvindo as equipes. No Hospital Regional de Estância, assim como os demais, criamos áreas de isolamento para os pacientes com suspeita de coronavírus. Os profissionais estão em treinamento para atender esses pacientes, bem como orientados sobre a utilização de Equipamentos de Proteção Individual – EPIs”, explicou.

O médico emergencista também afirma que, apesar dos acontecimentos serem rápidos, até o momento é possível ter um tempo de resposta razoável. “Em relação ao Regional de Estância, já temos fluxo bem definido, além de estrutura criada somente para atender casos de coronavírus. Embora as expectativas em relação à doença não sejam animadoras, se a população respeitar a determinação de isolamento social nesse momento, é possível evitar resultados negativos”.

Educação em Saúde no enfrentamento ao Coronavírus

Essa ação de Tele-educação teve o diferencial da oferta de qualificação à Rede de Atenção Hospitalar, que compreende os hospitais, e a Rede de Atenção às Urgências, que representa outras portas de acesso a serviços de urgência, a exemplo das UPAs (Unidades de Pronto Atendimento). A coordenadora do Telessaúde Sergipe relatou que o número de pessoas permitido para entrar na sala da webpalestra, cujo limite é 180 pontos de acesso, foi ultrapassado. “Como o tema é atrativo e os palestrantes possuem experiência para isso, a sala foi lotada. Daí criamos uma alternativa, através de outro link, para as pessoas que entraram posteriormente. Tivemos mais de mil acessos e, nesse momento de enfrentamento da pandemia, é importante que a informação qualificada chegue ao maior número de pessoas possível. Quem não conseguiu assistir por nenhuma das duas formas, disponibilizamos a aula no YouTube, no canal do Telessaúde Sergipe”.

Para a diretora operacional da Funesa, Daniele Travassos, o programa Telessaúde tem papel fundamental no enfrentamento ao Covid-19. “Neste momento, em que se faz necessário praticar o distanciamento social, o uso de uma ferramenta como essa, em nosso estado, é importante para levar a informação correta e atualizada aos profissionais de saúde da ponta. Os serviços ofertados pelo Telessaúde, a exemplo da Tele-educação, cumprem bem essa função”, ressaltou.

Ao tratar o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus como prioridade, a Funesa, enquanto escola de saúde pública, através do Telessaúde Sergipe, já realizou duas webpalestras – nos meses de fevereiro e março –, abordando a temática. As aulas também estão disponíveis no YouTube, no canal Telessaúde Sergipe. A  previsão para este mês de abril é promover outras ações de Tele-educação dentro do tema coronavírus.