Proteja-se.

Se sair use máscara!

Notícias

Isolamento social: Corpo de Bombeiros orienta sobre cuidados com crianças e idosos dentro de casa

15 de abril de 2020

Os cuidados orientados pela corporação visam evitar acidentes como quedas, queimaduras e intoxicações

Durante a fase de isolamento social, é preciso ter ainda mais cuidado com as crianças e com os idosos. Com a atenção dividida entre os pequenos, os mais velhos, as atividades domésticas e o trabalho, é fundamental tomar algumas atitudes simples e redobrar a atenção com os movimentos deles para que não ocorram acidentes domésticos, como quedas, intoxicações e queimaduras. Assim, o Corpo de Bombeiros (CBM/SE) reuniu algumas recomendações para protegê-los.

No tocante às crianças, a faixa etária de maior preocupação é a que vai de zero a cinco anos de idade. O tenente Fabiano Queiroz explica que nessa fase as crianças ainda estão com a coordenação motora em formação, estão desenvolvendo o equilíbrio e possuem muita curiosidade sobre os objetos que as cercam. Ele destacou que um dos cuidados primordiais é em relação à altura.

“Devemos lembrar que, em adultos, o peso da cabeça equivale a mais ou menos 10% do peso corporal. Já em crianças, equivale a mais ou menos 25% do peso corporal. Isso leva ao desequilíbrio maior por parte dessa criança. Então essa situação pode ocasionar alguns acidentes”, informa Queiroz.

Nessa fase da infância, as quedas são recorrentes e, a depender da circunstância, pode gerar graves consequências. “É comum colocar a criança no berço e deixar a grade baixa. Ela tem que ficar mais ou menos na altura do peito, quando ela fica baixa, a criança, ao se pendurar na grade, o peso da cabeça vai fazer o efeito de um pêndulo, jogando ela para fora do berço, então é um acidente comum. Isso também causa alguns acidentes, como o afogamento. Em bacias, em banheiras, locais rasos, o peso da cabeça da criança pode fazer esse pêndulo, e jogar ela também para dentro desses recipientes”, destaca o tenente.

Também é necessário ter cuidado com a disposição dos móveis pela casa. “A criança tem o hábito de escalar, então quanto menos coisas tiver perto da janela, é melhor. Porque ela pode escalar uma cadeira, um sofá, e pode vir a cair pela janela, as quais devem estar sempre com grades de proteção. Já no que se refere aos idosos, temos que evitar colocar móveis em locais de passagem. Esses locais precisam estar, ao máximo, sem obstruções”, complementa.

O cuidado para evitar quedas dos idosos se estende ao banheiro. “Temos que pensar em fazer adaptações no ambiente, como instalar barras de segurança, principalmente no banheiro, onde há a área molhada, na qual é mais propício o idoso escorregar. Também é bom que sejam retirados os tapetes”, menciona o militar do CBM/SE.

Os animais de estimação também podem causar quedas, então também é preciso atenção com o movimento dos bichos em torno dos idosos. “Temos que nos atentar também ao cuidado com os animais, eles são pequenos e gostam de ficar nos pés, isso pode acarretar uma queda desse idoso, assim como uma mordida, e não podemos esquecer que a imunidade do idoso pode estar baixa”, enfatiza Fabiano Queiroz.

Mais um risco é o de intoxicação por produtos de limpeza e medicamentos, por isso, o tenente orienta que os pais e responsáveis mantenham esses produtos afastados das crianças. “Os produtos químicos geralmente são coloridos, e isso chama a atenção das crianças. Então esses devem ser guardados em locais altos, de preferência, e com uma barreira de proteção, um cadeado, uma trinca, algo que dificulte o acesso da criança”, detalha.

Outro ambiente que exige cuidado é o da cozinha. “Outra situação que acontece muito são queimaduras na cozinha. A cozinha, de preferência, deve ser um local isolado para criança, ela não deve ter acesso. Algumas atitudes ainda devem ser tomadas, por exemplo, ao cozinhar. A alça da panela deve ficar para dentro do fogão e não para fora, pois, por causa da curiosidade, ela pode puxar aquela a panela, vindo a derramar o conteúdo por cima dela”, esclarece Queiroz.

O tenente Fabiano Queiroz também orientou sobre o cuidado com as tomadas para a proteção dos pequenos. “Elas devem ser protegidas com aqueles tampões de tomadas, para evitar que crianças coloquem materiais metálicos e até mesmo o dedo, vindo a receber uma descarga elétrica. Fato que deve ser observado também para os carregadores de celulares e de computadores, de forma em geral. Os carregadores originais são correntes contínua, sendo necessário fechar o circuito para a passagem da energia elétrica, porém os piratas geralmente não, eles ficam passando corrente rotineiramente. Se a criança pegar esse fio e colocar na boca, pode tomar uma descarga elétrica. Então é importante redobrar a atenção nesse período em que as crianças estão o dia todo em casa”, pontua.

Cuidados em relação ao coronavírus

É importante ainda tomar os cuidados necessários para que o idoso não seja contagiado pelo coronavírus. “Tem que haver a higienização com água e sabão. Ao passar o álcool em gel, tem que se levar em consideração que a pele do idoso já está um pouco mais fragilizada. Então temos que ter o cuidado para não abusar do álcool em gel para que não cause irritação na pele”, ressalta o tenente.

“As pessoas que cuidam do idoso precisam fazer toda a higienização ao chegar ao local de contato com ele. É preciso tomar cuidado também com as crianças, que gostam de abraçar e de beijar, e isso, no momento, nós temos que tentar evitar o máximo possível. As crianças podem ser assintomáticas”, concluio tenente Fabiano Queiroz.