Categoria - Notícias

Fisioterapeuta: importante profissional na linha de frente no combate à Covid-19

30 de abril de 2021

A fisioterapia tem papel fundamental no tratamento e na recuperação de um paciente, principalmente agora com as vítimas da Covid-19. No Hospital de Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho, os fisioterapeutas vêm trabalhando incansavelmente na linha de frente no combate à pandemia da Covid-19 e conseguido um feito importante que é evitar que os pacientes evoluam para intubação e piora do quadro, usando o suporte adequado para melhorar o seu quadro respiratório.

A fisioterapeuta da Ala Covid do Hospital João Alves, Renata Melo Fraga, explica como o trabalho dos profissionais da fisioterapia está contribuindo para resultados positivos. “Os pacientes estão saindo daqui da enfermaria com sucesso em seu tratamento e o risco de intubação está sendo cada vez menor. A gente não está tendo praticamente intubação na Ala, a não ser pacientes que estão vindo muito graves. A triagem no Pronto Socorro para um leito de enfermaria Covid está sendo feita pelo fisioterapeuta e pela médica, a gente avalia o paciente com menos risco”, explicou.

Além de outras manobras e técnicas específicas, o fisioterapeuta atua realizando o gerenciamento da ventilação espontânea, invasiva e não invasiva. “A gente não trabalha só com a parte de ventilação invasiva e recursos respiratórios em si. A parte de estímulo motor ele responde muito bem e é exatamente esse foco que a gente leva para o pós Covid. É um tratamento global a parte muscular como todo, movimentação, deambulação, às vezes o paciente sai debilitado de não conseguir tomar um banho, levantar de uma cadeira para a cama, então o paciente tem essa deficiência motora bem importante que é isso que a gente consegue melhorar na alta hospitalar”, enfatizou a fisioterapeuta.
Quando o paciente chega com indicação para uso da ventilação mecânica não invasiva que seria apenas para expansão pulmonar, melhorar a saturação e o conforto ventilatório como um todo do paciente, os fisioterapeutas conseguem com eficácia uma resposta, porém, os pacientes que já chegam graves não tem como protelar o processo de intubação e a fisioterapia fica ligada diretamente quando existe essa indicação. A fisioterapeuta, Renata Melo Fraga, enfatiza que existem os pacientes instáveis e as manobras realizadas pelos fisioterapeutas conseguem reverter o quadro com o uso de ventilação não invasiva.

“O Spirandi é um novo sistema de ventilação que está auxiliando no tratamento de pacientes com Covid-19, internados nas enfermarias 200 e 500. É uma máscara ligada por uma válvula de pipe que vai gerar uma expansão pulmonar e a ventilação não invasiva com ventilador, então temos máscaras específicas e a fisioterapia é responsável por essa parte, está se mostrando cada vez mais importante nesse sentido de evitar a piora clínica do paciente”, destacou a fisioterapeuta.

A cada dia, o trabalho da fisioterapia tem uma eficácia na abordagem dos pacientes junto com a equipe multidisciplinar. Cerca de nove fisioterapeutas trabalham nos setores fechados, sem contar com os outros profissionais que seguem em outros setores. A captação de pacientes no Pronto Socorro aptos para seguirem para o internamento, além da triagem são feitas pelos fisioterapeutas e pela residência médica. Essa prática vem se mostrando cada vez mais eficaz no tratamento. A união dos profissionais e a importância do fisioterapeuta no tratamento da Covid faz com que haja a rotatividade dos leitos e a redução de pacientes graves.

“Estamos com um trabalho novo, atuando diretamente com paciente na entrada do hospital no Pronto Socorro, fazendo avaliações e triagens, bem como atendimento usando os nossos recursos para evitar que o paciente evolua para intubações e pioras do quadro, usando o suporte necessário para que o paciente melhore o seu quadro ventilatório o mais breve possível e volte para casa com segurança”, finalizou o fisioterapeuta Ricardo Costa.