Categoria - Notícias

Covid-19: Psicólogo orienta pais sobre como lidar com as crianças durante o isolamento

22 de abril de 2020

Com a pandemia do Covid-19, o isolamento social e a quarentena em meio à tentativa de contenção do novo vírus está causando estresse em muitos pais por causa da rotina diária com as crianças que também tiveram suas atividades externas canceladas. O parquinho do condomínio está fechado, a área da piscina também, assim como o salão de jogos, brincar na casa do amiguinho, nem pensar. Com as crianças afastadas da escola e das atividades esportivas ou sociais, muitos pais estão fazendo o que está ao seu alcance para manter a criança ocupada com atividades saudáveis e em casa.

O psicólogo da Humanização do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), Dirceu Betti, explica que nessa fase, o diálogo e a paciência devem andar juntas. Ele explica que é necessário dizer o que está acontecendo de forma que a criança entenda, mas sem criar pânico. Tudo isso depende de como os pais estão encarando essa pandemia, se são ansiosos, hipocondríacos, depressivos, isso poderá afetar a criança porque os pais vão falar dentro da realidade psíquica deles.

“Tem que estar muito bem entendido para os pais, para que eles passem de forma tranquila para os filhos porque a atitude deles no dia a dia, pode mostrar o contrário para os filhos. É importante deixar claro para a criança que isso não é o fim, que mudanças acontecem e são necessárias. O mais importante é aproveitar os momentos familiares como uma grande oportunidade para estreitar os laços, além de manter as atividades rotineiras dela como as atividades escolares e a diversão em casa”, declarou o psicólogo.

A servidora pública Mariana Mota, 44, passa por essa situação diariamente. O pequeno R.M, 10, se mantém ocupado com as atividades escolares que são enviadas pelos professores por e-mail, leitura e jogos eletrônicos. Para a mãe do garoto, uma tarefa nada fácil. “Eu prefiro manter ele ocupado sempre para evitar o estresse, pois ele é um garoto que faz karatê, inglês e nos finais de semana brinca com as outras crianças do condomínio. A rotina dele mudou completamente, mas tento montar de acordo com o tempo que ele estaria ocupado em dias normais”, explica.

Já a odontóloga Isabele Barbosa, 40, tem dois filhos, D.B, 7, e C.B, 4, ela desabafa que sempre teve a ajuda de duas babás e uma secretária do lar, agora com a rotina alterada por causa da pandemia, as crianças já estão estressadas e questionando quando tudo isso vai acabar. “Realmente não está fácil para ninguém. Estou me virando como posso com a ajuda de uma das babás e do meu esposo. As crianças são hiperativas e não dão folga. Eles tem horário para tudo, do mesmo jeito que tinham na escola, a gente conversa muito e eles estão perguntando a todo instante quando vão para a escola e rever os amiguinhos”, disse.