Proteja-se.

Se sair use máscara!

Notícias

Barreiras sanitárias no interior de SE orientam retorno de 110 condutores de veículos aos estados de origem

03 de junho de 2020

Ao todo, são sete barreiras sanitárias, realizadas em parceria entre a Polícia Militar e as Vigilâncias Sanitárias municipais, distribuídas em seis municípios nas divisas com os estados de Alagoas e Bahia

Com o foco na redução dos riscos de contágio pela Covid-19 em todas as regiões do estado, desde o dia 23 de março foram implementadas barreiras sanitárias nas divisas entre Sergipe, Bahia e Alagoas. Do início do decreto governamental até hoje, nas sete barreiras presentes em todo o interior do estado, as equipes da Polícia Militar e das Vigilâncias Sanitárias municipais, orientaram o retorno de 110 veículos aos estados de origem.

As barreiras sanitárias foram instaladas em seis municípios – Canindé de São Francisco (2), Tobias Barreto, Simão Dias, Indiaroba, Poço Verde e Poço Redondo. O comandante do policiamento militar do interior (CPMI), coronel Fábio Rollemberg, explicou a implementação e reforçou o objetivo desse sistema de redução dos riscos de contágio pela Covid-19 na população sergipana.

“A implementação de barreiras nas divisas do estado de Sergipe com Alagoas e Bahia foi decorrente do cumprimento das diretrizes previstas no Decreto Governamental nº 40.567, que versa sobre a proibição da circulação do transporte interestadual público e privado de passageiros no estado de Sergipe. Essa proibição visa a diminuição da circulação da Covid-19 no território sergipano. Para tanto, a Polícia Militar, através do CPMI, implementou sete barreiras em seis municípios do estado”, destacou.

Na atuação nas barreiras sanitárias, foram identificadas pessoas com os sintomas da Covid-19, que foram atendidas pelas equipes municipais. “Durante o serviço nas barreiras, policiais militares identificaram algumas pessoas com sintomas e que foram prontamente apresentadas ao pessoal da Vigilância Sanitária dos respectivos municípios das barreiras”, mencionou.

“Graças a Deus e ao bom serviço prestado pelos valorosos policiais militares, até o presente momento não tivemos incidentes mais sérios que demandassem condução à delegacia por descumprimento ao decreto governamental”, concluiu o comandante do CPMI.